sábado, 11 de março de 2017

Revolução Francesa parte I

Revolução Francesa: Pequeno resumo e os Principais fatores

Se você ainda está um pouco confuso nesse assunto, esse artigo pode te ajudar!


      A França do final do século XVII e da maior parte do século XIX foi o país revolucionário por excelência. Esse período começou com a Revolução Francesa e continuou com as grandes ondas revolucionárias de 1830, 1848 e 1871, que muitos historiadores consideram como sua continuação. 
      A Revolução Francesa não foi a primeira revolução burguesa, mas foi, sem dúvida, a mais importante. Tornou-se o modelo clássico da revolução burguesa por seu alcance no mundo ocidental e por sua radicalidade. As revoluções inglesas do século XVII, por exemplo, ficaram limitadas à Inglaterra, foram menos violentas, mantiveram a monarquia e levaram ao poder uma parcela da burguesia e da nobreza ligada aos interesses comerciais. As revoluções inglesas também estavam mais preocupadas com a liberdade do que com a igualdade de todos perante a lei, o movimento francês teve maior alcance porque os exércitos revolucionários de Napoleão Bonaparte difundiram seus ideais por toda a Europa. E foi mais radical porque a burguesia, liderando as massas populares, derrubou o absolutismo, acabou com os privilégios sociais do clero e da nobreza, tomou o poder político e implantou a igualdade de todos perante a lei, pondo fim aos privilégios de nascimento. A partir daí implantado o Estado liberal com a divisão dos três poderes, o liberalismo econômico e a livre-concorrência, e a igualdade de todos perante a lei. A burguesia apossou-se do poder político e criou as condições para o desenvolvimento do capitalismo. Quando Napoleão Bonaparte assumiu o poder, derrotou os inimigos internos e externos da burguesia francesa e levou os ideais de modernização política e econômica para quase todos os países europeus, consolidando a Revolução francesa e trazendo um novo conceito de cidadania para o mundo.

Fatores da Revolução Francesa. (Mercantilismo e absolutismo)

Agora que você sabe um pouco desse assunto que foi lido no resumo, vamos aos principais fatores da revolução. ;)

     Mercantilista e absolutismo, a França havia participado da corrida colonial e desenvolvido as manufaturas e o comércio interno e o externo, contribuindo para a acumulação de capital nas mãos da burguesia.
     Mas o Estado não deixava nenhuma liberdade de decisão para os burgueses que, imbuídos da revolucionária filosofia do iluminismo, acreditavam que o mercantilismo, caracterizado fundamentalmente pela intervenção do Estado na economia, era antinatural e sinônimo de atraso econômico. então, concluíram que, para desenvolver o capitalismo, era necessário derrubar o absolutismo, acabar com os privilégios da nobreza e do clero, tomar o poder político e pôr fim a todas as restrições e monopólios mercantilistas.
     A ideia de fim dos privilégios complementava-se com a de igualdade perante a lei e permitia aos burgueses ganhar o apoio das camadas populares, que estavam cansadas de séculos de opressão.

Quinta-feira não perca a segunda parte da Revolução Francesa!
Bons estudos!


ESTE TEXTO NÃO FOI COPIADO DE SITE ALGUM, COMO VÁRIOS SITES E BLOGS TEM O MESMO TEMA COM TEXTOS PARECIDOS, ESTE NÃO FOI PLAGIADO E NEM COLADO DE OUTRA PÁGINA. LEMBRE-SE PLÁGIO É CRIME!